Quem é Manuela d’Ávila?

177

Manuela d’Ávila teve sua candidatura à Presidência da República confirmada no dia 17 de novembro do último ano. A atual deputada estadual no Rio Grande do Sul e é formada em Jornalismo.

Parece que os partidos políticos estão apostando em “sangue novo” para as eleições de 2018, tendo em vista que Manuela tem apenas 36 anos de idade estando entre os pré-candidatos mais jovens, juntamente com Guilherme Boulos.

Quem é Manuela  d’Ávila

Apesar de nova em idade, Manuela tem larga experiência política estando no meio desde quando foi eleita como vereadora pela primeira vez aos 23 anos iniciando assim seu mandato.

Nos anos posteriores assumiu o cargo de deputada federal entre os anos de 2007 a 2014, o equivalente a dois mandatos. Manuela, nas duas vezes em que se candidatou a este cargo foi a deputada mais votada do estado do Rio Grande do Sul.

Casada e mãe de uma menina de 2 anos a pré-candidata representa o PCdoB, um partido político de esquerda fundado oficialmente em 1962. Porém, atuante desde 1985 o partido até então nunca teve nenhum de seus representantes concorrendo ao maior cargo político do país.

canditada a presidente Manuela D ávila
Manuela d’Ávila

Pensamentos de Manuela d’Ávila

Sabemos o quão importante é analisarmos os pensamentos de um pré-candidato. Essa é uma das melhores maneiras de criarmos empatia com o mesmo.

Em seu governo, podemos concluir que Manuela tenderá a seguir com pensamentos comuns pertinentes a partidos comunistas no que tange a respeito de temas morais.

Veja abaixo opiniões e posicionamentos da pré-candidata Manuela d’Ávila a respeito de assuntos polêmicos:

  • Aborto: Quando deu entrevista ao programa Agora é Tarde, Manuela foi questionada a respeito de sua posição em relação ao aborto. A mesma, na ocasião, mostrou-se a favor da legalização do aborto considerando a prática como “uma questão de respeito às mulheres”. Em outra entrevista, a atual deputada reiterou sobre o tema afirmando que o aborto necessita ser tratado como uma questão de saúde pública. Sua justificativa final foi baseada no suposto alto índice de mortes maternas geralmente causadas por abortos clandestinos.
  • Religião: Em algumas entrevistas Manuela afirma que possui origem cristã. Quando questionada a respeito da posição da bancada evangélica no que tange a homofobia ou outras questões de peso como aborto Manuela manifestou-se dizendo que cristãos acreditam no amor ao próximo, sem mais. No entanto, a candidata não frequenta igreja alguma nem nunca vinculou seu nome a nenhuma denominação cristã.
  • Casamento Gay: Quanto a este tema Manuela é totalmente a favor. Através de uma postagem em seu perfil pessoal de Facebook em junho de 2015 a pré-candidata parabenizou o governo norte-americano quando o mesmo aprovou o casamento entre pessoas do mesmo gênero. Na imagem relacionada ao post, um mapa demonstrava os poucos países em que o casamento gay ainda não era aceito. Deixando claro o quanto o mundo ainda precisava avançar em relação ao tema em respeito à diversidade e apoio ao amor.
  • Drogas: Em novembro do ano passado, Manuela deu uma entrevista à revista Veja onde comentou a respeito desse tema. Ela demonstrou apoio à visão do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, citando-o ao dizer que a discussão da legalização das drogas deve ser feita sob a perspectiva do mesmo, ou seja, ela é favorável à legalização. Segundo a mesma a violência só aumentou devido a uma política que incitava guerra às drogas.
  • Desarmamento: Manuela mostrou-se contrária à revogação do estatuto do desamamento e foi bastante crítica a propostas de outro candidato, Jair Bolsonaro, a respeito do tema. Manuela chegou a acusar Bolsonaro de simplismo. Na ocasião mencionou que o mesmo preocupa-se somente em defender que a população tenha direito as armas sem possuir um projeto consistente destinado ao tema.

Manuela D ávila canditada a Presidente do Brasil